quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Melhoras para o locutor Coronel Pereira...

Foto do blog Doutor Lima

Antonio Pereira ou simplesmente o Coroné Pereira, apesar de não mais exercer a função como comunicador, foi um dos maiores radialistas de Mossoró, não só da Rádio Difusora, mas como também na Rádio Tapuyo e Rádio Libertadora. Além disto, foi durante muitos anos operador de filmes no Cine Caiçara de Mossoró. 

Cunhado de Marcos Lima
Da nossa RPC
Grande Coronel Pereira
Luta pra sobreviver
Esteve na UTI
Mas já conseguiu sair
Melhoras pra você

Antonio Pereira de Melo
É a notícia deste dia
Após sofrer um infarto
Passou por muita agonia
Mas se tratar vale a pena
Botou três ponto safena
 Depois de uma cirurgia

Quem não conhece esse amigo
Um locutor de primeira
Seu carro de som transmite
Uma mensagem verdadeira
Meu verso nunca foi rude
Vou lhe desejar saúde
Valeu Coronel Pereira

(Lalauzinho de Lalau)

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Abdelmassih foi condenado a 278 anos de prisão por 48 estupros cometido contra 37 mulheres...

Ex-médico Roger Abdelmassih chega a São Paulo escoltado pela polícia; ele agora será levado para Tremembé

Chegou debaixo de gritos
Quando passava algemado
As vítimas o chamavam
De maníaco cabra safado
Todo mundo esculhambou
Médico manipulador
Vei, criminoso e tarado

Não existe inspiração
Nem verso metrificado
Pra falar de coisa ruim
De doutor cabra safado
Que está preso em Tremembé
Preso por estuprar mulher
Que bicho velho tarado

Sei que a justiça foi feita
E o doutor fez coisa feia
Se a consciência pesar
Qualquer doutor se aperreia
Quando olhar pra todo lado
Ouvindo a voz do passado
Vai morrer nessa cadeia

(Lalauzinho de Lalau)

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Ainda lembro...


Papai! Eu lembro as gostosas madrugadas
Pra Tia Darquinha quando o senhor me levava
E eu cuidando da velha vaca cumbuca
Tirando leite quando o senhor me ensinava

Papai eu lembro o cavalo pichilinga
Cavalo velho que o tempo já levou fim
Não era o grande campeão das vaquejadas
Era o presente que papai comprou pra mim

Papai eu lembro as festanças brasileiras
Era noite de fogueira e eu pegava em sua mão
Depois saia cassando pau pela a rua
Casca de coco, plástico velho e papelão
Pra ascender à fogueira dos meus sonhos
Depois gritar dando viva a São João

 Papai eu guardo no caderno da lembrança
O meu tempo criança, do álbum e Manoel Pexim
Onde eu comprava figurinha pra o meu álbum
Se faltou algo o tempo escondeu de mim
E a saudade ela chega aqui de eito
Machuca o peito, porque saudade é assim

Papai cadê? O velho pé de cajarana
Sei que ficava bem no portão da cozinha
Ainda lembro de Seu Mané de Quidú
Quando chegava bem cedinho de manhãzinha
Eu nunca mais vi Manoel comprar pastel
Sumiu a massa e partiu minha mãe Toinha

O tempo passa, o tempo leva e a gente fica
Cadê Luiz Jorge e Bidica, Teta, Mazé e Delzinha
Ainda lembro de Diva varrendo a rua
Saudade sua é mesma saudade minha
Se eu pudesse eu comprava a fita do tempo
Pra ver o tempo, tempo bom que a gente tinha

Por isso eu disse pra Carolina e Pra Julinha
Essa foi a infância minha que eu não esqueço jamais
Eu fui criado com a casa cheia de gente
Mamãe doente disso eu não esqueço mais
Por isso hoje eu agradeço a Jesus Cristo
Passei por isso muito obrigado papai

(Lalauzinho de Lalau)

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Quero isso e muito mais...


Quero paz interior
Quero isso e muito mais
Muito mais simplicidade
Nas coisas que a vida trás
Com mais amor no meu peito
Ando simples desse jeito
Fazendo o que a gente faz

Cultura, humor, poesia
Levo sempre na bagagem
Um pouco de heroísmo
Mais um pouco de coragem
Garra pra poder lutar
Isso não pode faltar
Seguindo a minha viagem

Na caminhada do dia
Quero mais compreensão
Com minhas filhas do lado
Minha esposa e união
Quero isso e muito mais
Nas coisas que a vida trás
E Jesus no meu coração

Deus me deu o privilégio
De seguir a minha meta
De ser um abençoado
Fazendo a coisa mais certa
Sem inveja de ninguém
Pra Jesus eu digo: amém
Graças a Deus sou poeta

(Lalauzinho de Lalau)

sábado, 16 de agosto de 2014

Com 101 de idade Dona Otília é minha fã...

 

Com a sua lucidez plena
Acorda já de manhã
Só escuta o meu programa
Curti o forró de Amazan
Falou com sinceridade
Com cento e um de idade
Dona Otília é minha fã

Mãe do vaqueiro Mulico
Sempre está na sintonia
Escuta meus dois programas
O Mais Forró e o Bom Dia
Ela fã do meu repente
E já disse pra toda gente
Na Ilha de Santa Luzia

Eu só escuto o poeta
Só escuto RPC
Eu gosto do jeito dele
Ainda vou lhe conhecer
E agora já conheceu
Tirou uma foto mais eu
E o meu verso vai pra você

Sempre na sua morada
Onde tem a sua chã
Fica com o rádio ligado
 A tarde e pela manhã
É uma capacidade
Com cento e um de idade
Dona Otília é minha fã

 

(Lalauzinho de Lalau)

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Cristiano Ronaldo é exagerado até no romantismo...

irina_divulgacao

Vejam só o exagero
Do Cristiano Ronaldo
Que no seu lance amoroso
Anda muito preocupado
É o melhor no futebol
E encima desse lençol
Dorme muito exagerado

Com título o melhor do mundo
Sei que é muita ostentação
Dez carrões têm na garagem
Está fazendo uma coleção
E a namorada reclama
Veja aí a sua cama
 E o tamanho desse coxão

Se ele for exagerado
É exagerado demais
Juntos, já faz quatro anos
E ela está com gosto de gás
Já conviveu com rumores
Traições e outros amores
Veja só o que um homem faz

Com uma mulher bonita dessa
Com o corpo bem perfumado
Modelo, linda e atraente
Com suvaco depilado
Unhas feitas, mão e pé
E ainda quer outra mulher
Deixe de ser exagerado!

(Lalauzinho de Lalau)

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Morreu Eduardo Campos da queda de um avião...

Lula Marques - 22.jan.2004/Folhapress

Foi na década de oitenta
Que na política ele entrou
Começou a sua história
Bem ao lado do avô
Por nome Miguel Arraes
Nas urnas eleitorais
Foi ate Governador

Natural do Pernambuco
Entrou no PSB
Foi candidato a prefeito
Conseguiu se eleger 
Deputado Federal
Na política nacional
Foi ministro pelo o PT

Casado com a Renata 
Cinco filhos ele deixou
Candidato à presidência
Marina soube e chorou
E o jornal quem noticia
Que morreu no mesmo dia
Da morte do seu avô

O treze ficou marcado
Neste ano eleitoral
O avião caiu em Santos
Bem perto do litoral
Quando o avião caiu
Um prédio ele atingiu
Notícia em todo jornal

Abordo sete  pessoas
Essa foi a informação
O jato Cessna trazia
Pra uma agenda de eleição
Que fazia em qualquer canto
Morreu Eduardo Campos
Da queda de um avião

Morre o homem e fica o nome
O corpo vai num caixão
A matéria a terra come
Fica numa gravação
Seu discurso em todo canto
Morreu Eduardo Campos
Da queda de um avião

(Lalauzinho de Lalau)